Vol. II, Nº 7 Juiz de Fora, abr.-jul./2008

· Volume II

A Ibérica – Revista Interdisciplinar de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos chega ao seu sétimo número, consolidada como uma das mais importantes publicações da Universidade Federal de Juiz de Fora na área das Humanidades. Firmou-se como publicação aberta e crítica, na trilha da exigência de racionalidade que corresponde a um empreendimento de caráter acadêmico. Os membros do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da UFJF, que damos sustentação intelectual a esta publicação, somos conscientes da necessidade de refletir sobre a nossa própria realidade, não ficando apenas no terreno analítico das concepções filosóficas estudadas com afinco, mas partindo daí, responsavelmente e com coragem, para uma análise crítica da realidade brasileira e ibero-americana. Acolhendo, de outro lado, pontos de vista diversos, a fim de garantir o necessário pluralismo que deve estar presente numa publicação universitária.

Cinco matérias são contidas neste número. Em primeiro lugar, aparece o artigo do Prof.dr. Ricardo Vélez Rodríguez, intitulado: “Miguel Reale: historiador das idéias”. Destaca-se, no mesmo, a base epistemológica (ontognosiológica, diria o mestre paulista), sobre a qual se alicerça a proposta culturalista para o estudo da história das idéias; essa proposta metodológica, diga-se de passagem, constitui uma das mais importantes contribuições da meditação brasileira à empresa da historiografia do pensamento filosófico em Ibero-América, porquanto firmou uma abordagem capaz de dialogar com todos os autores, não importando as suas tendências doutrinárias, superando, de vez, o vício da denominada pelo grande Tobias Barreto de “filosofia em mangas de camisa”, de caráter apologético e excludente de tendências não simpáticas ao ponto de vista de quem analisa o pensamento dos outros.

Em segundo lugar, é publicado neste número original artigo do Prof. dr. Luiz Alberto Machado, docente titular e diretor do Curso de Pós-Graduação em Economia da Fundação Armando Álvares Penteado de São Paulo. O título do artigo: “Cuba sem Fidel: como será?” revela a temática por ele tratada de um ângulo crítico, levando em consideração a tradicional atmosfera fechada do regime castrista. À luz da irônica manchete de jornal, ao ensejo das coisas que podem ocorrer na Ilha caribenha, num clima de “Sai Fidel, entra Castro”, talvez poucas mudanças abruptas possam se esperar.

Em terceiro lugar, este número traz o artigo de Juliana Guedes Cordeiro, professora do Colégio de Aplicação João XXIII da UFJF, intitulado: “Violência e Mitologias Ameríndias”. Nele, a autora analisa o arquétipo mítico da violência teogônica presente am alguns mitos ameríndios e confronta esse marco paradigmático com a violência desacralizada que ameaça engolir as nossas vidas na sociedade contemporânea. A autora assinala um caminho para melhor enfrentarmos a contraditória e ameaçadora realidade cotidiana: voltarmos ao estudo das grandes mitologias ameríndias para, à luz delas, melhor compreender as forças interiores que nos impulsionam.

Em quarto lugar, é publicado o artigo de Ronaldo Pimentel, pesquisador do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da UFJF e mestrando do programa de Lógica da UFMG. O trabalho de Ronaldo Pimentel traz o seguinte título: “As conjecturas metafísicas no culturalismo de Miguel Reale”. Nesse artigo, o autor destaca um aspecto muito criativo da meditação do filósofo paulista: a reivindicação da dimensão metafísica como núcleo a ser investigado pela meditação filosófica, porquanto balizador da variável conjectural, de onde emerge a imaginação criadora e a dinâmica que dá ensejo às grandes criações da cultura. Ponto de vista crítico, portanto, da pura dimensão neokantiana, em que pese a evidente inspiração de Reale nessa corrente de pensamento.

Em quinto lugar, este número da Ibérica – Revista Interdisciplinar de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos acolhe importante pesquisa de historiografia das idéias realizada por Rodrigo Marcos de Jesus (estudioso da filosofia brasileira na PUC de Belo Horizonte, sob a orientação do Prof. Dr. Paulo Margutti). O trabalho em apreço tem o seguinte título: “Leonardo Boff: antropologia, ontologia, cosmologia, ética e mística”, se constituindo, assim, numa das primeiras pesquisas sistemáticas sobre o pensamento do grande ensaísta, cuja obra já estava a merecer um estudo detalhado. Com este trabalho do professor Rodrigo Marcos de Jesus firma-se, no âmbito do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da UFJF, uma linha muito importante de colaboração com o Núcleo de Pesquisas da Filosofia Brasileira fundado e coordenado pelo Prof. Dr. Margutti em Belo Horizonte. Esperamos que esta primeira iniciativa tenha continuidade em outras realizações desta natureza, tanto na PUC de Belo Horizonte quanto na UFJF.

Artigos (Número completo em pdf)

Publicidade

Publicidade